terça-feira, outubro 30, 2007

O SENHOR É A NOSSA HERANÇA!


O MINISTÉRIO DOS LEVITAS
Dt 10.9b



INTRODUÇÃO

No meio evangélico o termo “levita” tomou uma conotação comum, sem muitas vezes expressar seu real significado. Poucos sabem o que é um levita e quais as suas funções, outros se autodenominam como levita. Neste pequeno espaço de tempo, estaremos aprendendo a origem dos levitas, suas funções e sua herança.

I. A ORIGEM DE LEVI
1. Significado do nome
a) Levi no hebraico “lavah”, significar associado, juntar, unir (Nm 18.2,4);
b) Outras variações – termo árabe “lawiyu” que significa aquele que fez voto ou aquele que esta endividado; termo cognato do hebraico “lawi’a” significando sacerdote, vinculado ao verbo juntar.

2. Origem de Levi

a) Levi foi o terceiro filho de Jacó com sua esposa Lia (Gn 29.34);
b) Teve três filhos: Gérson, Coate e Merari, cada um dos quais fundou uma família tribal, Gn 46.11; Êx 6.16; Nm 3.17; 1Cr 6.16-48;
c) Moisés e Arão eram levitas da casa de Anrão e da família de Coate (Êx 6.16, 18, 20, 26).

II. A ELEIÇÃO DA TRIBO DE LEVI
1. A eleição dos Levitas (Nm 18.1-2)

a) Refere-se a um membro da tribo de Levi – era uma tribo secular que virou sacerdotal;
b) Ao incumbir Arão e seus filhos pelo santuário e sacerdócio, Deus designou a tribo de Levi para auxiliá-los;
c) A tríplice divisão que descendia de Levi era: sumo-sacerdote, sacerdotes e levitas.

2. Os levitas como substitutos

a) Todo o primogênito da terra pertence ao Senhor (Êx 13.1-2);
b) Deus adotou essa tribo como sua própria herança em lugar de cada primogênito de Israel (Nm 3.11-13);
c) De acordo com as circunstâncias em que se deu o livramento do cativeiro da terra do Egito (Êx 13.11-16).

3. Deveres dos Levitas segundo a legislação mosaica

a) Levar a arca e transportar o tabernáculo e os seus utensílios, sempre que se mudava o acampamento (1Sm 6.15; 2Sm 15.24);
b) Realizar vários serviços no tabernáculo (Ex 38.21; Nm 1.50-53);
c) Servir Arão e seus filhos (Nm 3.9; 8.19; 25-37; 4:1-33; 1 Sm 6:15; 2 Sm 15:24);
d) Davi os incumbiu da música litúrgica (1Cr 15.16,17,22) e guardas do Templo (1Cr 9.26; 26.17);
e) Na época de Esdras ensinaram a Lei ao povo (Ne 8.7-8; Dt 31.25).

4. A divisão dos trabalhos (Nm 3), entre os filhos de Levi: Gérson, Coate e Merari:

a) Cada divisão tinha um cargo especial em relação com o cuidado do tabernáculo;
b) Gersonitas ao ocidente – ajudar no transporte do tabernáculo quando o povo mudava o acampamento de um lugar para outro, e formar a guarda quando estavam estacionados (vv. 21-26);
c) Coatitas ao sul – tinham a seu cargo os móveis e utensílios do tabernáculo, os quais eram transportados em quatro carros puxados por oito bois (vv. 27-32);
d) Meraritas ao norte – cuidavam das tábuas da armação, que eram levadas nos ombros, utilizando-se varais (vv. 33-37).

5. A organização de Israel
a) A organização do povo de Israel mostra uma das características de Iahweh (Sl 27.11; Pv 19.21).
b) Arão e seus filhos foram separados para o sacerdócio que se perpetuou na sua família;
c) O tabernáculo e o culto nele celebrado exigiam grandes cuidados e zelo no transporte do rico santuário, no preparo dos materiais necessários ao culto;
d) Exigiam serviços que excediam as forças de um homem ou de uma família. Precisava-se de auxiliares. O cuidado pelo tabernáculo era cargo muito honroso.

III. REQUISITOS PARA SER UM LEVITA
1. Ser consagrado (Lv 8.5-26)

a) O fato de ser levita não era a única condição para entrar no ofício sagrado – não basta só crer;
b) Os levitas deviam ser apartados para a obra do tabernáculo mediante uma cerimônia especial;
c) Purificava-se oferecendo sacrifícios, sendo espargidos com água misturada com cinzas de bezerra ruiva, barbeando-se e lavando seus vestidos, os sacerdotes impunham as mãos sobre os levitas na cerimônia de consagração;
d) A água pura e a navalha afiada representam o afastamento de tudo quanto impede a dedicação espiritual e assinalam a purificação de tudo quanto mancha o corpo e o espírito.

2. Outros Requisitos
a) Entravam na profissão aos 25 anos de idade provavelmente como aprendizes em prova sob a vigilância de levitas mais velhos (Lv 4.3; 8.24);
b) Ao atingir os cinqüenta anos, o levita era eximido dos trabalhos rigorosos, mas podia continuar servindo nos deveres mais fáceis do tabernáculo;
c) Santificação – nenhum Levita poderia fazer a obra de Deus sem estar com sua vida em santidade (Nm 8.21-22; Hb 12.14), tinham que se lavar e purificar suas vestes.

3. Por que estes requisitos

a) Além dos trabalhos inerentes ao tabernáculo, serviam como uma espécie de pára-choque para protegerem as demais tribos israelitas da indignação de Deus, que os ameaçava se despercebidamente entrassem em contato com a tenda sagrada ou com os seus móveis (Nm 1.47-54);
b) Quando o povo quebrou o pacto de obediência a Jeová, fabricando o bezerro de ouro, somente os levitas permaneceram fiéis à sua aliança com Deus (Ex 32.26-29; Nm 3.9,11-13,40, 41, 45; 8.16-19).

IV. A HERANÇA DOS LEVITAS

1. Efeitos da eleição (Dt 18.1-8)
a) Não receberiam território como as demais tribos e sim 48 cidades dispersas para residirem (Nm 35.1-8; Js 21);
b) Estariam espalhados a fim de que seus serviços estivessem ao alcance de todo o povo hebreu;
c) Nesta qualidade, a tribo não trabalharia a terra, mas viveria dos dízimos e ofertas do povo;
d) Todo o tempo, talentos e virtudes pertenciam a este ofício, que era também o ofício do povo mesmo;
e) Portanto, "O Senhor é a sua herança" (Dt 10:9) – mostra dependência a providência.

2. Como ser um levita hoje
a) O Sistema sacerdotal do AT era sombra do sacrifício perfeito de Cristo (Hb 8.5-6); somos nação santa e sacerdócio real em Cristo (1Pe 2.9)
b) O levita do VT nada mais é do que a figura do servo do NT, que se consagra e assume a posição de levita para conduzir o tabernáculo do senhor;
c) Não há como exercer o ministério diante do Senhor sem passar pela experiência da santificação, da purificação pela palavra de Deus (Ef 5.26);
d) Novo nascimento – vida de oração, leitura da palavra, congregar, jejuar (1Ts 5.16-18);
e) Pessoas com vidas deformadas, sem visão do Reino, buscam seu próprio prazer – shows, emoções passageiras sem a presença de Iahweh. Atraem maldição em vez de bênção.

CONCLUSÃO

A responsabilidade de um levita vai além de se expressar por meio do louvor, instrumentos ou outra forma de adoração, exige uma vida de consagração (separação do pecado, envolvimento com o Reino de Deus). Idéia de entrega total, dependência de Deus. Tem a tarefa de juntar, unir a esposa ao Esposo (Jesus). Pergunto: Como você está usando o dom de Deus? Em proveito próprio? Para unir? Separar? Ou não está usando?

4 comentários:

Irmã Daniela disse...

a paz do Senhor!
Pr. gostaria de saber sobre o sacerdócio, tudo o que o senhor puder me ensinar sobre os sacerdotes e se puder me enviar uma mensagem, meu e-mail é dandan_aguiar309@hotmail.com, meu blog é maranataoravemsenhorjesus.blogspot.com muito obrigada! E continue escrevendo pois o seu blog é muito bom, gloria a Deus!

july disse...

A paz do Senhor!

pr. Gostei muito deste artigo é bastante esclarecedor, bom seria se todos os líderes principalmente os de denominações tradicionais pentencostal ou não ensinassem aos seus menbros a verdade sobre este ministério.acredito que hoje na graça todos somos levitas, porém existem aqueles que possuem um chamado específico ealgumas pessoas confudem isso, é como o "sacerdócio real" todos os que creem em cristo o sâo, mas nem todos podem ser pastores...

"O Segredo do Senhor"...Sl 25.14; Pv 3.32. disse...

Que o Senhor o abençoe, Pr João Marcos. Muito bem explicado este estudo sobre o ministério levítico. Sou como um levita, atuo na área do louvor, música e pregação da Palavra e minha herança é o Senhor, SL 16:5. Amém.

Anônimo disse...

Muito bom estudo. Jesus lhe abençoe sempre.